10/07/2014

A fuga à chuva... Itália

Durante o jantar do dia anterior, e durante o pequeno-almoço deste nono dia de passeio, acordámos (a muito custo) alterar os planos e rumar em direcção ao único local onde parecia haver sol nos dias seguintes, Itália, Turim, onde seria possível chegar em... dois dias.
Para tal, teríamos que seguir em direcção a Basel na Suíça, cruzando a fronteira e atravessando o país no mesmo dia entrando em França junto às margens do lago Léman em direcção a Vacheresse para passar a noite, arrancando daí em direcção a Turim.
O primeiro dia de fuga à chuva, ao arrancar de Hausach, apanhámos a estrada 294 para entrar na auto-estrada 5 em direcção a Basel, olhando para a minha esquerda podia ver os Alpes cobertos de nuvens e não pude deixar de ficar triste por não estar a rumar em direcção a Stelvio, valia que o cenário e as perspectivas de chegar a um tempo melhor (que não me fizesse constantemente pensar "da próxima vez fazemos férias no Verão!") davam algum ânimo... e de certeza que viria a ter boas oportunidades de ficar de boca aberta com os Alpes.
Auto-estrada 22 da Suíça até Liestal, seguida da estrada 12 até Balsthal onde tomámos a número 5 e posteriormente a 22 até junto ao lago Murten onde entrámos na 1 até Ussieres virando para a Route de Moudon até à margem norte do lago Léman que contornámos passando por Montreux (e não visitei o Mercury... vergonhoso!) até entrar em França em Saint-Gingolph seguindo pela D1005 até Grande Rive onde a seguímos pela D21, D32 e D22 até chegar ao destino do primeiro dia de fuga, Vacheresse, onde novamente passaríamos a noite num hotel... e ainda comprámos chocolates antes de sair da Suíça! Escusado será dizer que não chegaram a casa... e que a viagem foi entre o molhar e o secar, como era de esperar pelas previsões dos meteorologistas.

No dia seguinte, partida em direcção a Abondance, o posto de combustível mais próximo, pela D22 e entrando na Suíça novamente em direcção a Monthey, rumando pela estrada 21 até Martigny onde, debaixo de chuva e com uma temperatura inferior a 5ºC (passámos por um termómetro algures na subida depois de Martigny) chegámos ao Túnel Grand-Saint-Bernard e se, na parte em que não estávamos completamente debaixo do chão, podíamos ver neve, assim que tivemos espaço para parar, foi isso que fizemos e o sol de Itália soube-nos tão bem ao fim de tanto tempo sem o sentir... o nosso destino daqui em diante passaria a ser Aosta. 

Continuámos a descida até Aosta onde acabámos por almoçar e beber um (verdadeiro) café debaixo de um sol maravilhoso mas depois do almoço lá seguimos então para Turim (cidade caótica a nível de trânsito por sinal) e depois para Avigliana. 
O parque de campismo Aviglianalacs fica localizado na faixa de terra que separa os dois lagos (o Grande e o Piccolo, que parece ser quase do tamanho do Grande), onde ficámos dois dias a secar roupa e alforges, a passear à beira lago, a visitar a Sacra di San Michele e a comer (pasta nas mais variadas formas) que nem uns abades... finalmente! As férias voltaram a ser no Verão!



 
Depois de corrigida a folga da corrente da CBF, chegámos ao ponto de parecer... lagartos ao sol!
Enviar um comentário